quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

É melhor atentar para o grande golpe do Ar

I

Depois que você respirar as árvores
Vai perceber na ilusão do nosso presente
Que não há nada mais importante
Que abrir os mares oculares e explodir idéias, amores
Amuletos, baús, promessas e lembranças... e...
Violência

(é que de qualquer forma existir é um ato de violência)

Por enquanto é a arte- oficial de não existir que te constitui
Raiz de ser humano, semente jogada, pré-Árvore



II

Pronto...
Agora...
....Vive!



III

Re-Volta e a Futurância passadiando,
solúvel são os anos que te passam
tú era um e agora é outro, já transvestido de ilusão
Transgenicado, fastfoodiado
Hate!

Compra teu oxigênio...
Uns cents artificiais...Uns ditos artificias.
Moduladores sintéticos que vão dar a idéia
De que segura a mão do teu amor...
Fake!

De um para um, nenhum dos dois é melhor:
O ar real que te envenena silenciosamente
A arteficcional que tú idealiza criando até roteiro pra felicidade
O artificial que passou pelos dois anteriores e agora é o que te resta

Nenhum comentário:

Postar um comentário