quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Consumo

Vai nascer uma arvore dentro da minha barriga,-
escondendo-se da metrópole e do caçador ins-
ano. A arvore me tornará essência dela, cada v-
ez mais meditativo, cada vez mais olhos, silênci-
o, observância calada, compreensão do vazio,-
conexão perdida e achada com a natureza das-
coisas, deslocada do desvio que é o humano, fi-
nalmente arvore completa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário