domingo, 28 de novembro de 2010

Trans-Torna ( me demolindo sorri)

O Gosto da manhã
não me eleva
me Amarga,
me Transtorna,

sufoca
os pensamentos
calmos
do fim das noites

O Cansaço de
Matéria
não existe
mas e o da Alma?

(Apreender
teu cheiro suave
Hipnotizar
em todo o teu Corpo

Não te dizer
meu amor
para não estragar tudo
Te querer e acordar
Vazio de ti.)

(Teus Olhos...Olhos...não dizem...dizem...afundam-me)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Isolation de Bocas e Ouvidos

-Estamos a Surdar!
-O quê?
-Surdar!

-Não!
Estamos a Falar
Porém baixo demais
-O quê?
-Baixo quão um Não
Falar!
-Onde nossos Ouvidos e Vozes ficaram?

-Na Estação das Percepções?
-Que passou, passa ou
Passará!

Ido em algum lugar não sabido ( aqui e ali)

Eu não estou aqui
Neste espaço
Aguado e fraco
Que respira

Pairo fora
Quero acreditar nisso!

Este sem vontade de vida
Não sou eu
Este dormindo acordado
Sem cansaço, sem sonho
Não sou eu
Este corrompido e opulento
Não sou eu

Pairo fora
Até voltar a me ser...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

A Profundeza das Roupas e seu Círculo de Limpeza e Sujeira

                                   ...ao
                                              grunge 
                                                que 
                                                não
                                              existe...
                                         kurt is dead!  
                               
A roupa que têm para amanhã
Estou sujando hoje
Ela é mais branda,
E a preciso agora
Que ninguém me olha

Amanhã
Dou a justa roupa encardida
Da mesmice ao dia
Ao gosto de renovação,
Ao cheiro de
Shopping-Sentenciado

Mas queria
era
Estar
Pelado
Sem
Saber
Isto,
Uma
oposição
Ao
estar
Vestido

(uma roupa para cada Interesse)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A uma Estatística (um conhecido de brincadeiras de infância)

                                                ...Do Pó ao Pó
                                               À Reciclagem
                                                               À Transformação
                                                               Ao Ciclo...

 Tua alma não será julgada!
Nosso acaso perante os fatos
Penitenciará o cotidiano
E tudo ficara Arado
Para o teu corpo-fertilizante

Da força que ouve nas tuas mãos
Para planejar o fim,
Da Coragem de não olhar para trás
E Pular amarrado a decisão,
Sobrara apenas a Síntese da vida:
Braços tortos
E cabeça roxa

Talvez não te tenha faltado o Ar...
E sim tenha havido excesso dele
E esse excesso
Viera em violência
Atropelando
O sonho da Felicidade
Expondo doses fortes
Demais
De Realidade
Quando
Se estava fraco
Demais
Para
Ser Humano

Mas Tudo ficará bem,
Jovem suicida
Jovem das lágrimas
E do fio de sangue
Na boca


                                                               "fatos valiam muito
                                                              agora não valem mais
                                                                    fatos agora
                                                                  são tão banais"

sábado, 13 de novembro de 2010

Cumprindo o Desafio ( Jogo dos Sete)

A senhorita Pâm Garden do Blog: Aquilo que vem do escuro (desde já recomendo) me desafiou a participar de um jogo que particularmente foi difícil para mim, e que por isso está sujeito a redefinições constantes. Confiram aí!

Obrigado querida Pâm e o desafio está cumprido!

obs: Geralmente não sou sintético nas definições e por isso vocês verão tantas linhas para coisas tão simples que eu não sei simplificar.

obs2: sou eu ai embaixo? o talvez é certo!

7 coisas que eu tenho que fazer antes de morrer

Montar uma banda de Rock and Roll  “Experimental”
 Viajar pelo interior do amazonas, Brasil e Exteriores (prioridade:interior do Amazonas ou Recife)
 Quem sabe escrever um romance ou compilar meus escritos em uma forma Amadora com páginas numeradas.
Construir uma Biblioteca e disponibiliza-la.
Fazer trabalhos de pesquisa que misturem música, cinema, literatura, lingüística e sociedade.
Questionar com o maior número de pessoas as idéias de: Ditadura Camuflada, Fascismo Convencional de nosso cotidiano, Indefinição da arte e...e...e...
Buscar-tentar-preferir-viver “dez anos a mil do que mil anos a dez” nos moldes de um “Epicurista Triste”

7 coisas que eu mais digo

Até mais ver (?) (!) (...)
“meu irmão” ou “Senhorita!”
Eu penso que...
Abençoadas palavras Chulas comedidas pelo estado sentido (palavrões!)
Geralmente canto: “Caía a tarde feito um viaduto, e um bêbado trajando luto, me lembrou Carlitos”
Precisamos Tocar aquelas músicas.
Já ouviu?, já leu? Já viu?


7 coisas que eu faço bem

Cantar amadoramente (atualmente tentando alcançar os rasgos da voz de Litle Richard)
Tocar amadoramente (atualmente tentando pegar os rifs viciantes de “Jonnh B. Goode” de Chuck Berry)
Emendar cordas quebradas.
Conversar (interagir)
Fazer brincadeiras e piadas Nonsenses.
Criar dores de cabeça de pequenas implosões de pensamentos acumulados (isto quase sempre se resolve com 36 gotas de dipirona sódica)
Usar sempre e limpar sempre ,os meus Óculos (meus olhos reais são os da opacidade, o da miopia crônica)

7 defeitos meus

O da impaciência.
O da Falta de atenção.
O do "matraquismo" compulsivo.
O da “certa” Timidez.
O do esquecimento.
O do sedentarismo físico.
O do pessimismo e esperança num mesmo espaço de intenções!

7 coisas que eu amo

A família grande e cheia de histórias.
A música (ênfase ao rock and roll)
O Conhecimento.
A respiração dos meus pulmões e a Aurora.
Tambaqui Assado com muita farinha da Ova.
As “dissonâncias” Subversivas da Natureza.
A relativa Liberdade, mas “Consciente” ( o questionamento!)

7 qualidades

Busco ser:
Persistente.
Responsável.
Reflexivo.
Carismático.
Espontâneo.
Sincero.
E Vivo

7 pessoas para fazer o jogo dos sete

façam se tiverem vontade de fazer o pequeno-jogo-grande:
Renata Targino ( Serenas Firmezas )
Isadora ( Lamento de um blue )
Nicole Carneo ( Uma mente um universo )
Anne Lucy ( Atestado do Óbvio )
Rodrigo Feitoza ( Medo de Ser Arte - Você só sabe chover! )

Todos estes blogs eu recomendo!

Abraço, Empatia e até!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Não a Palavra te Darei ou Há escritura-leitura nas Coisas?

                                                                       “É sempre bom Lembrar
                                                                           que um copo vazio
                                                                                 Está cheio  
                                                                                     de Ar”  (um Francisco BuArqueado)

Um Oco preenche
minha cabeça
Percebo que eu,
Alfabetizado,
Hoje não concluo
um Equilíbrio
Palmas À alfabetização... (clap,clap, clap, clap, clap...)
(A, E, I , O , U
“ÃO” de sofrer o poder da Irrelevância)

Tenho Lido
e Lido muito
e entendido Nada,
Absolutamente Nada                           (clap, clap ao Nada?.)
e Este é o produto
mais glorioso
da Aversão

(Para acertar
Distorcidamente
preciso ser
distorcido-(de)mente)
-Filetes de consciência saiam daqui!
Levem todos os meus Papéis
com vocês!

Quero ser Primitivo
Não mais quero Ler
Posto que
,também,
Não haverá escritura-leitura
nas Coisas?

(obs: existem as coisas e a metafísica das coisas: os nossos papéis) 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Devanear o Vir a Devanear e Sentir Vergonhas Horrendas, mas Honrosas

...(é Falso!)

Sei que Sou,
Bom em outras Coisas
Que não essas,
As Coisas
(é Falso!)

Espero nesta Esquina a Vontade
Mas será que ela já não passou por aqui?
O que me degrada é o que te degrada?
(é Falso!)

Panis et Circensis e as pessoas não estão
Mais "na Sala de Jantar"
Foram passear
Há um Sol lindo lá fora
para quem não Sabe!
(é Falso!)

Têm alguém na caverna?
Deixem eu entrar por favor!
Posso até chorar se vocês quiserem!
(é Falso!)

Querias tu,
que Eu fosse verdadeiro
Mas não resistes nem a um prólogo
Desta Verdade.
Agora adeus à Deus
E ao jardim do Éden
(é Falso)

Despertadores tocam amanhã
Voltarei que o RecenteMente!
(é Falso)

O mundo começa-se
Moluscamente em conchas
Em rastejo de tempo
(é Falso)

Antigo espírito que nos Habita,
Habita por aqui para espantar
Para brincar
Para ocultar sobre-naturalidades
(é Falso)

O Falso se diz resistente as trocas
Clandestinas de sentido
Ao tráfico constante dele mesmo
Em Falso para Real,
Comercial,
Teatral,
Primordial
E muitos outros “aos”
De queda,
de dor,
de sofrer agonizante
“aos” gritados em “ahhhhhhhhh...”
(é Falso)

O Falso
Funda-Mental-e-Corpo
e disto
se deu
Nós
,a Espécie,
Os Centro do Universo,
Microscopicamente
não Vistos
Anti o Anti
e   Sendos.


(não é
Falso, nem Fossa
É Força de expressão!...Trocadilhos
                                     Truncados
                                     Como Troco
                                     Do trato!)


obs: ouçam a música Panis et Circensis da Banda Mutantes, como intertextualidade desse texto