domingo, 24 de outubro de 2010

Reunião Extraordinária

Tudo é tão rápido
que não alcanço o Nascimento da Novidade
Ela não nasce, Aborta
Precoce suspira uma vez
e se despede
nunca anunciando chegar

Posto à frente
das mesas de uma
Reunião Extraordinária,
velando o feto Natimorto da Novidade
Falo como
Todo Mundo
Um
Corpo Uniforme,
que se diria Sumo,
Resumo,
e que antes fora talhado.
Mas a importância do diálogo
Que sempre faço
Ficara
nos
      Fiapos
              Cortados,
    nos
                Miolos
    Rejeitos,
    nas
              Beiradas
Raspadas,

Esses, Os restos,
de lá do chão sentenciam
o seguinte
que
não se
Seguirá:
-A Tragédia hoje é não haver Tragédia
Que todos
são
Hábeis
Engolidores
E a política atual
É a das
Goelas
Que filtram
toda a Aspereza

Um comentário:

  1. teus lacônicos versos dizem tudo, na forma e no conteúdo traduzem o efemero dos nossos dias...

    qnto a visita ao blog confesso q não tenho dedicado muito tempo a ele. vou tentar atualizar sempre q puder.

    bom te encontrar por aqui.inté!

    ResponderExcluir