quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O Encontro Informativo

Observei os gestos de uma ruborizada
De uma nervosa delicada e autêntica
Ela levou as mãos aos cabelos e soltou
Percebi,
Atentei,
e fotografei isto
Na mente
E agora me roda esta imagem

Passaria por mim
se não tivesse a chamado
para me orientar
E assim meio assustada,
com olhos e boca
e mãos delicadas e bem feitas
me indica
ser no fim o lugar

O fim era ali,
no instante da indicação.

Devo mais que rápido te apagar
Senão corro o risco da embriagues
Dos tontos,
dos ridículos
Pois estamos mais distantes
Do que próximos
Bela transeunte sem-nome

2 comentários:

  1. Muito bonito o poema, bem elaborado, gostei =]

    ResponderExcluir
  2. Nooossaa que tudo Ramon, o que naum produz uma simples informacao, heinm??? Rss... :D

    ;*

    ResponderExcluir