sexta-feira, 18 de junho de 2010

e Saramago disse:

RESPONSABILIDADE

"As misérias do mundo estão aí, e só há dois modos de reagir diante delas: ou entender que não se tem a culpa e, portanto, encolher os ombros e dizer que não está nas suas mãos remediá-lo — e isto é certo —, ou, melhor, assumir que, ainda quando não está nas nossas mãos resolvê-lo, devemos comportar-nos como se assim fosse."

José Saramago
La Jornada, México, 3 de Dezembro de 1998

obs: texto extraído do blog "outros cadernos de Saramago"

...perdemos o maior dos romancistas da lingua portuguesa contemporânea!

sábado, 12 de junho de 2010

Fanatismo como redenção ou um Monstro

O Ser foi acusado e transformado em Monstro pelas mãos inquisidoras. Estas mãos vinham aos montes para festejar com o licor que escorreria da certeza de culpa do Monstro e do castigo "mais que justo". Ah! um espelho na hora fatídica e tudo teria se resolvido!. Um espelho na hora revelaria a relatividade de qualquer julgamento .Mas não!,nada de espelhos em nenhum lugar. Antes foram dilaceramentos de corpo alheio e o olhar furiosamente prazeroso de quem criava a expiação de suas próprias culpas. Eram eles em infinitude, queimando, esquartejando,e provando como havia verdade absoluta por sobre a terra. O dia era impassível( azul e ensolarado) e não alterou os sentimentos perante os instintos desses projetos da natureza, criados a base de um cérebro, que lhes fazia pensar em racionalismo. No fim, o Monstro,antes ser, era agora só sujeira no campo do massacre. Em algum dos espaços vários em que estava, o que antes foi o Monstro, uma das partes havia de ser a sua cara(o resto), uma cara que antes viva, mostrava não entender nada do que todos os outros compreendiam instantaneamente. Todos estavam certos de que, qualquer um que avançasse estranhado na perna importantíssima do senhor Imperativo,representante de todos os falsos poderes políticos,(vestido com um tradicional terno das raças superiores), e ao avançar, lhe arrancasse um pedaço da perna(que valeu pela forma imponente, agressiva e falsa com que chegou o homem no "eterno terno" a casa desconhecida do monstro),esse que se atrevesse!...(e que se atreveu a realizar o desejo coletivo de todos) ,no alto de seu "irracionalismo", seria racionalmente punido com a morte. E olhem bem que eram vividos(e ainda se vivem) tempos da democracia!, e um Cão, morador das ruas, doente de Raiva( que não podia se conter),foi impiedosamente primeiro tachado de monstro, e depois esfarelado a um nada sobre a IRA coletiva dos fanáticos.

domingo, 6 de junho de 2010

Profundo Mundo a Mim

Ando sendo sobre o passado já sido
e Corro em querer inovar a velharia ultrapassada!
Minha alma se enche de toda essa inspiração
À causa sobre o efeito, no contato redundante:
E a volta... , e a volta...
Passo sobre mim incontáveis vezes
Sempre que me vejo
Estou sorriso, estou tristeza... Estou olhando pra cima
E só olhando nada sobre o céu,
Infindáveis incertezas de existência!
São as estrelas!
e Todas pesam sobre a escuridão,
e só a escuridão é verdadeira
Engolindo todo o sentimento da espera,
Deixando o espaço torturante...

...A luz só existe para ser vencida pela escuridão,
A luz de vez em quando não cumpre seu motivo...

O meu peito abarca os tempos da lucidez
e Não há como fugir,
Sou só informação vagueado inexistente
Não serei nem sereno.

Meus pés foram arrancados do corpo de Deus
À cabeça não há mais motivo...
Não poderemos seguir...Pensaremos e não seguiremos!
Pois tudo é lucidez!
Essa verdade percorre o meu mundo pré-construído
e Tu, qualquer tu,
não serás menos que eu, não serás mais que eu
Serás distância como outra idéia de passado
Para o futuro presentificado.

...Para o futuro presentificado:O formigamento da alma e o esfacelamento do corpo!