terça-feira, 27 de abril de 2010

SOBRE A CONTINUAÇÃO DE NOSSAS VIDAS!(O COMEÇO DO FIM!)



O mundo acaba de explodir e eu estava a me despir...
iria tomar um banho.
Nesse momento nada pode cantar ou expressar a sensação de sumir!
Tudo é poeira cósmica!...
como veio se foi...
Ninguém sentiu o temor ou a dor de sumir...
e mesmo que sentissem,
tudo acabaria na metade!

Agora não existe mas agora,
nem antes,e o que é pior
O depois!
Não existe razão,meta ou esperança.
Tudo inexiste no vácuo espacial da terra!

"Irônico o mundo acabar do nada
trazendo a morte social de todos!"

explodiu-se:
O material,o espiritual...
A paz e o amor...
As guerras e o horror!
aquela música que tocava...
uma nota...mais uma ...nenhuma!...
O processo de criação não pode continuar...
O gozo quase chegou...
mas antes explodiu!

O mundo explodiu...
Os homens e Mulheres...
a desigualdade neles!
A burrice e a chatice...
A sabedoria infinitamente escrita...
A política da justiça do mais forte...
os bichos,monstros,plantas e contos...
Toda a naturalidade e o seu lindo teatro!
As danças de todos os gêneros,
os gêneros de todas as formas...
Tudo é poeira!, toneladas poeirais!
Junto,Unido,Misturado...
assim como ficavam as mentes de alguns lunáticos com senso ou sem senso.

É...Tudo está explodido...
e tinha tantos que se preparavam
e veio do nada,para igualar todos ao simples susto e incompreensão que sumiu na metade!...na metade!

Ninguém pôde dizer o porque...
Nada sobrou para renascer...
No lugar de tudo só tem o nada e não tem ninguém...
e eu iria tomar um banho
estava a me despir
Tudo explodiu sem aviso!

Esperem!...
eu ouço um barulho
que voz ou som sobreviveu?
"Que luz forte e libertadora"
É a minha TV fora do ar, e o som chiado de nenhuma programação!

Um sonho?! , Um pesadelo?!
NÃO! Uma revelação!
sobre como tudo é arbitrariamente vivo!
e sobre como não adianta ir contra essa força da vida!
Tudo bem estou vivo...
Todos estamos...
O mundo continua e a poeira ainda não é realidade.
Mas se um dia acontecer: Não pensar!... Só viver!... e morrer na metade do pensamento VIVO!

terça-feira, 20 de abril de 2010

o infinito e eu!

“Eu rodo e rodo mais uma vez. Passo pelo mesmo caminho redundante e conformado. Mas mesmo no caminho sempre voltado percebo espaço para fuga das minhas horas repetidas, não são horas perdidas elas só não foram vividas. A venda das minhas visões, preconceito instantâneo da necessidade, não me deixa viver as minhas horas, as horas espaciais da sensação e requisito para a fuga de um caminho e a inserção em outros.
Mas se eu busco liberdade, e nunca encontro é justamente porque só quero trilhar e encontrar caminhos, e os caminhos no alto de qualquer teoria que defendam são coisas que em algum momento vão ser regras, determinações, fundamentos, prisões. Não! , não há nada de ruim em trilhar caminhos mas também não há nada de bom em não refleti-los. Se encontrar no caminho como algo não completo, instável, não encontrado. Se encontrar como o nunca encontrado!”

Fissura na rotina ou o efeito de um ONTEM PRA TRAZ!



...COMEÇO... Primeiro penso na frase “ontem pra traz” frase que pensei ter ouvido Chico Science cantar no primeiro cd da nação zumbi. A verdade é que quis ouvir um “ontem pra traz” em vez de um “há um tempo atrás” (que é o que ele realmente canta). A minha reação ao pensar nesta frase é a seguinte: (e se preparem para a incerteza das estruturas, o dessentido de todos os modelos), o inferno sou eu, mas principalmente os outros e esse real “ontem pra traz”. Entenderam? Não! Explico agora: Vou de novo subjugar e devanear com vocês sobre o real, dessa vez será mais doloroso, mais intenso e fragmentado, vou lá, vou recomeçar a falar de mim mesmo (assim falo de vocês), mas tentem alinhar (Juntar as linhas) a ordem do meu pensamento, só tomem cuidado com a proximidade do CEROL cortante e dos seus respectivos pescoços. Começo agora:
...DESENVOLVIMENTO... Sou eu! Que estou sempre sugado ao pensamento desta nossa cultura moderna, e a bandeira com a “ordem e o progresso” contínua altiva e contraditória, e a bandeira do nosso estado é uma cópia fajuta da bandeira dos Estados Unidos. Somos patriotas de algures e nenhures!
São vocês! Formando a nossa trincheira: diploma, emprego, casa, carro, conceito... Não abrem mão!...É tudo que nos resta, e as crianças buchudas, sujas, famintas, mortas continuam a coexistir comigo, conosco!
É a mídia! Ela tem um paletó, ela tem um otimismo (das faixas etárias), a mídia tem um glamour e a ditadura aceitável do conformismo, e lá vamos nós, somos braços segurando em barras de ferro, emaranhados e pedindo aos berros silenciosos: Conforto! .Suados como porcos, porcos derradeiros da sociedade dos bichos de George Orwell.Mas! Ainda sim, há sorriso! E se este sorriso sai do rosto iluminado de uma moça qualquer “preconceituosamente interessante”, para o meu alívio, isto é a minha esperança, mesmo na sociedade dos bichos, mesmo na ditadura da mídia, mesmo na coexistência da morte, mesmo na perpétua ordem e progresso, a moça é uma fissura na rotina, fissura mínima, tragável ainda pelo caos, mas sagrada, exorcizante. A moça e seu “imaculado” e atraente sorriso salvam-me a pele!
...CONCLUSÃO... É! ... O “ontem pra traz” adicionado a minha câmera da realidade do hoje imediato contribuiu para que eu pudesse inserir a coexistência de nossas duas realidades similares. POR FIM, Digo: Amigos!...Amigas!...Animais racionais! A lógica não é a minha espada, quanto menos o meu escudo, talvez ela seja a minha cruz! Carregada com gritos de dor, que pedem rendição que não querem salvar para depois serem incompreendidos. É isso! A lógica de tudo isto aqui, é a minha vontade de sofrer, vivendo o “ontem pra traz” e o daqui pra frente incerto, onipotente e revolucionário!

OBS: Isto tudo não passa de um espírito dadaísta mal digerido, e que a minha vontade me forçou a mastigar, enfim gerei um monte de recortes de minha memória,se apeguem a isso ou não!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

PALAVRAS VOMITADAS DE "AO VIVO"



...TUDO NÃO PASSA DE UM PROCESSO DE COMUNICAÇÃO ONDE SÃO SELECIONADAS CERTAS INTERPRETAÇÕES PLAUSÍVEIS AO QUE ESTÁ TENTANDO SE COMUNICAR. EU, VÔCES, NÓS... HUMANOS SUBESTIMADORES DOS OUTROS NÍVEIS DE COMUNICAÇÃO, VIVEMOS E ATÉ QUANDO PENSAMOS NÃO VIVER DETERMINAMOS OS MODELOS DE VIDA PARA TODAS AS OUTRAS COISAS.
CAIXAS LACRADAS ATÉ QUE A CURIOSIDADE (UM DOS NOSSOS MUITOS VÍCIOS) NOS INDUZEM A CONSTATAR QUE EXISTE APENAS PREVISIBILIDADE. E QUEM AGUENTA SER IMPREVISÍVEL? E QUEM NUNCA ACABA HESITANDO?
ESSES SÃO OS QUESTIONAMENTOS VOMITADOS DE "AO VIVO" MOMENTO, ANTES QUE ME FUJA O FLUXO DA POESIA INUTILMENTE REJEITADA (PORQUE ACABAMOS AFIRMANDO TUDO NAS AÇÕES COTIDIANAS); ANTES DE TER A CHANCE DE ACREDITAR QUE ISSO É MAIS UMA HESITAÇÃO PRENUNCIADA; MESMO QUE NA SELEÇÃO DAS INTERPRETAÇÕES QUE VOCÊS FARÃO TUDO NÃO FIQUE MUITO BEM ENTENDIDO; MESMO NO NÍVEL FORÇADO QUE É ESSA NOVA FORMA DE COMUNICAÇÃO (COMUNICAÇÃO VIRTUAL) QUE PODA, PODA, CORTA AS CABEÇAS JÁ SEM VIDA DOS DESISTENTES ANTES DA ESCOLHA DE DESISTIR; ANTES DE COMEÇAREM A PROCURAR OUTROS LINKS DE NAVEGAÇÃO MAIS LÍQUIDOS, MAIS RÁPIDOS, MAIS INQUESTIONÁVEIS!
O VÔMITO DE MINHAS PALAVRAS JÁ VAI SECANDO, SE ENQUADRANDO NO PASSADO, VOU APRECIAR POR ALGUNS INSTANTES ESSE FRUTO DE MINHA NAUSÊA DA INFORMAÇÃO, VERIFICAR A SUA BELEZA INEXISTENTE E DEPOIS VOU ME APRESSAR A LIMPAR TODA A SUJEIRA QUE FIZ, ANTES QUE "ALGUÉM" SE ENOJE DE TANTA FALTA DO QUE FAZER, OU ESCORREGUE E CAIA DE CARA NO SEU PRÓPRIO REFLEXO VOMITADO POR MIM, MAS POR ENQUANTO, POR FAVOR!, ME DEIXEM APRECIAR ESSE MEU EXCRETO PALAVREADO, PASSEM POR MIM E APENAS VIREM OS OLHOS PARA ALGO DE MENOR ASCO, FORÇEM A ILUSÃO DOS DIAS DA PENITÊNCIA E DO PERDÃO E SIGAM FELIZES!...